Postado em em NotíciasCidade

Caso Grilo: assassinato completa três anos e família continua cobrando Justiça

Familiares e amigos espalharam outdoors e faixas em diversos pontos da cidade pedindo celeridade da justiça no julgamento dos criminosos.

Por Berg Morais

Vinte e dois de novembro de 2010. Há exatamente três anos, o empresário Jair Gomes de Oliveira - o “Grilo” - foi assassinado brutalmente quando se dirigia para uma partida de futebol de salão entre amigos, no centro da cidade de Palmeira dos Índios. Em forma de protesto, familiares e amigos espalharam outdoors e faixas em pontos estratégicos do município para cobrar o desfecho do caso por parte da Justiça.

“Saudades! 3 anos de impunidade. Imploramos por Justiça!”, é a frase da família que está estampada em um outdoor no centro de Palmeira dos Índios.

O irmão da vítima, empresário José Leão de Oliveira falou em emissoras de rádio do município e concedeu entrevista exclusiva ao MinutoPalmeira.

Com a voz tremula e bastante emocionado, Leão relembrou o início da confusão e revelou que sua mãe teria procurado a esposa do acusado para uma conversa na tentativa de solucionar o problema ocorrido numa mesa de bar. “Mamãe foi falar com ela [esposa do acusado] e ela garantiu que não teria problema nenhum, pois se tratava de confusão de bebedeira. Mas um ano depois disso meu irmão foi morto”.

Leão questionou a morosidade da Justiça no tocante à realização do julgamento dos acusados. “Quatro estão presos acusados de serem os autores materiais do crime. Mas por que o mandante, segundo a polícia, está solto andando por aí como se nada tivesse acontecido?”, questiona.

“Já se passaram três anos de impunidade. Mas nossa família tem muita fé no poder de Deus e acredita que em breve a Justiça fará com que os responsáveis paguem pelo crime que cometeram”, finaliza José Leão.

Já Thaísa Freitas de Almeida, filha de Grilo, usou as redes sociais para comentar o dia em que completa três anos da morte de seu pai. "Meu pai foi arrancando de mim e de meus dois irmãos, da pior maneira possível, da maneira que ninguém no mundo merece sentir o buraco que a minha casa tem até hoje. A gente vai se virando, “se criando” como dá... Te tiraram da minha vida, da minha casa, dos meus dias, mas nunca te tirarão do meu coração".

ENTENDA O CASO

O empresário palmeirense Jair Gomes de Oliveira foi assassinado em novembro de 2010, enquanto se dirigia para uma partida de futebol de salão com amigos, que acontecia tradicionalmente as segundas-feiras, no ginásio de esportes do colégio Cristo Redentor.

Grilo foi surpreendido, ao descer de seu veículo, por dois homens que estavam em uma motocicleta. Eles efetuaram quatro disparos direcionados à cabeça da vítima. O crime aconteceu a 150 metros da delegacia municipal.

Ele chegou a ser atendido na emergência do hospital Santa Rita, mas faleceu quando recebia atendimento médico.

Deixe seu comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

  • REGINALDO

    REGINALDO

    TUDO ISSO É PORQUE A A JUSTIÇA DE ALAGOAS É MUITO BOA E A DE PALMEIRA DOS INDIOS, É MUITO MOROSA E SEUS INTEGRANTES TEM PREGUIÇA DE TRABALHAR. ACORDA MINISTÉRIO PÚBLICO TITULAR DA AÇÃO PENAL E FISCAL DA LEI.

  • valdo

    valdo

    Como sempre, a Policia Civil cumpre sua parte: investiga e prende.

  • É UMA PENA ISSO

    É UMA PENA ISSO

    TANTO ESSE COMO O DO SEBASTINHÃO DO CAFÉ TEM GRANA DOS COFRES DA PREFEITURA DE PALMEIRA GASTO PRA TIRA VIDA ACORDA

  • CERGO SEM QUERE VÉ

    CERGO SEM QUERE VÉ

    É SÓ CADA QUE TANTO ESSA MORTE QUANTO A DO SEBASTINHÃO DO CAFÉ TEM DINHEIRO DOS COFRE DA PREFEITURA DE PALMEIRA POVO ACORDA DINHEIRO PUBLICO É PRA SALVA VIDA Ñ PRA TIRA CORDA JUSTIÇA